REVISTA LIVROS & LEITURAS

REVISTA LIVROS & LEITURAS, desde 2009 à distância de um clique...www.revistalivroseleituras.com...Atualizações diárias no Facebook, Instagram e Twitter...Quem não lê, não quer saber!...

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Cinema Literário: E O Vento Levou


“E O Vento Levou” é mais um clássico da literatura que deu origem a um excelente filme. A película pode ser vista na totalidade, por exemplo, no YouTube. Tanto o livro como o filme foram um grande sucesso. Recordistas de vendas. A cena de Scarlett, a protagonista, gritando “eu nunca passarei fome novamente” é uma das mais emblemáticas da história do cinema. Tudo acontece no sul dos EUA, durante a Guerra Civil e o processo de reconstrução.

Este drama/romance é grande em tudo. Até na sua duração. São quase quatro horas de filme. Data de 1940 e teve a direção de Victor Fleming, George Cukor e Sam Wood. O seu elenco principal é constituído por Vivien Leigh, Clark Gable e Leslie Howard. Recomenda-se!

Sinópse do filme:

Uma reunião social acontece numa grande plantação na Georgia, Tara, cujo dono é Gerald O'Hara (Thomas Mitchell), um imigrante irlandês. Na mansão está Scarlett (Vivien Leigh), sua bela e teimosa filha adolescente. Os gémeos Tarleton, Brent (Fred Crane) e Stuart, imploram para serem os seus acompanhantes num churrasco, que haverá em Twelve Oaks, uma plantação vizinha. Scarlett flerta com eles enquanto tenta obter informações sobre o homem que ama obsessivamente, Ashley (Leslie Howard), o primogénito do patriarca de Twelve Oaks, John Wilkes (Howard C. Hickman).

Ela ouve algo que a desagrada muito: Ashley está comprometido, o que depois é confirmado pelo seu pai. Scarlett acha a vida em Tara monótona, mas o seu pai diz que Tara é uma herança inestimável, pois só a terra é um bem que dura para sempre. Apesar de tudo, ela só pensa no Ashley. É então que resolve usar o seu mais belo vestido para ir ao churrasco, revelando um inapropriado comportamento para um compromisso diurno, apesar das objeções de Mammy (Hattie McDowell), sua protetora escrava.

Mais tarde, Scarlett ouve os cavalheiros discutindo acaloradamente sobre a guerra eminente que acontecerá entre o Norte e o Sul, crendo que derrotarão em meses os ianques. Só Rhett Buttler (Clarrk Gable), um aventureiro que tem o hábito de ser franco, não concorda com estas declarações movidas, mais pelo orgulho do que pela lógica. Ele diz que não há nenhuma fábrica de canhões no sul e afirma que os ianques estão melhor equipados e têm fábricas, estaleiros, minas de carvão e podem matar os sulistas de fome, pois têm o domínio dos portos, enquanto os sulistas só têm algodão, escravos e arrogância.

Um jovem, Charles Hamilton (Rand Brooks), sentindo-se insultado, tenta desafiar Rhett para um duelo, mas ele esquiva-se, mesmo sabendo que o derrotaria facilmente, e se retira. Ashley tenta ir ao seu encontro para acompanhá-lo, pois Rhett é um convidado, mas é detido por Scarlett, que quer falar com ele. Os dois vão até a biblioteca e ela diz a Ashley que o ama profundamente. Mas ele responde-lhe que está noivo da prima dela, Melanie Hamilton (Olivia de Havilland). Ashley diz que ama Melanie, entretanto admite que ama Scarlett fraternalmente. Ela fica ainda mais irritada e esbofeteia Ashley, que deixa a biblioteca. Ela então lança um vaso contra a lareira e descobre que atrás de um sofá havia uma outra pessoa, Rhett. Quando Scarlett lhe diz que não é um cavalheiro, Rhett retruca dizendo que ela não é uma dama. Os homens exultam e Charles vai dizer a Scarlett que a guerra foi declarada, com todos os homens indo alistar-se. Enquanto via Ashley se despedir de Melanie, Scarlett ouve Charles lhe pedir em casamento. Movida pela mágoa, ela aceita e diz que quer casar antes que ele parta. Assim Melanie e Ashley casam-se num dia e, no seguinte, Scarlett casa-se com Charles, apesar de não sentir nenhuma atração ou amor por ele. O que Scarlett desconhecia é que o futuro lhe reservava dias muito mais amargos, pois durante a Guerra Civil Americana várias fortunas e famílias seriam destruídas.

 Sinópse do livro:

O livro foi o vencedor do Prémio Pulitzer de 1937. A sua adaptação para as telas, de 1939, foi candidata a 13 Óscares. Acabou por ganhar oito. Foi considerado um dos maiores clássicos do cinema. "E O Vento Levou", de Margaret Mitchell, traz a impressionante história da bela Scarlett O’Hara e de sua transformação, de jovem impetuosa e mimada a mulher prática e disposta a tudo para conseguir o que deseja. Frustrada por não conseguir casar com Ashley Wilkes, Scarlett Acaba por se envolver com o charmoso aventureiro Rhett Butler, com quem viverá uma das histórias de amor mais célebres e conturbadas da literatura.

A autora descreve de maneira impressionante a Guerra Civil Norte-Americana e retrata as grandes mudanças que pavimentaram a História dos Estados Unidos e enterraram para sempre um estilo de vida.

"E O Vento Levou" é da autoria da escritora e jornalista norte-americana Margaret Mitchell.

Sem comentários:

Enviar um comentário