REVISTA LIVROS & LEITURAS

REVISTA LIVROS & LEITURAS, desde 2009 à distância de um clique...www.revistalivroseleituras.com...Atualizações diárias no Facebook, Instagram e Twitter...Quem não lê, não quer saber!...

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Kronikando: Juntaram-se as duas à esquina a bailar o solidó

A livrólica não se enxerga. Mesmo depois de ter engolido dois valentes cartões vermelhos em direto e quase em simultâneo, não aprendeu, e todos os dias vai ao gregório com resmas de parvoíces no seu miserável espaço na web, tentando atingir indiretamente pessoas de bem. Será que consegue? Não creio!!

Não, não é estrábica. Já aqui o disse. Ficou assim depois de ter ido parar ao olho da avenida.

Os seus textos na net são para gargalhar, tal são os patamares que consegue galgar todos os dias… Evolução não faz parte do seu léxico. Ora se mostra altamente solidária com os mais necessitados, mas pedindo a terceiros que ajudem (com as calças do meu avô também eu era homem), ora dá altos pontapés na gramática que até assustam o maldito susto.

A livrólica tinha obrigação de escrever bem, mas não. Bem pelo contrário. A sua escrita e linguagem são altamente limitadas. Ainda não aprendeu, por exemplo, a distinguir o “demais” do “de mais”… É burrinha, e “prontos”. Mas o mais grave é que não sabe. Ai, “coltura”. Tinha obrigação, pelo seu métier, de fazer uso do novo acordo ortográfico. Não o faz e é um direito que tem. Mas agora reparem no altamente bizarro desta jumenta. Numa frase, usa o acordo antigo, noutra, o novo acordo. INÉDITO, cara de pau! “I like banana, because il n´y a pas de caroço”? Já pensaste numa candidatura ao Guiness? Até poderias arranjar aí emprego. Terias, todavia, de ir para a Irlanda do Norte. Sabes porquê? Claro que não! O Dr. Google explica-te!

Mas a livrólica não está só. Tem ao seu lado outro jegue. O melhor: uma jegue! A tal que anuncia ao mundo ter um curso superior, mas que nem uma cadeira conseguiu fazer na universidade. Quer ser aquilo que nunca conseguiu ser por mérito próprio. Então, vamos fazer de conta que sou a DOUTORA jegue. Custa muito marrar nos livros, não custa? É mais fácil cobiçar a vida alheia, não é? Sabes o que dizia o outro? Se tens inveja de mim, trabalha, calona!

O que acontece aos desleixados? Tornam-se incompetentes e deixam de servir a causa com brio. Apesar de tudo, esta jumeta mostra-se indolente, mas as dores causadas pelos sucessivos tombos são gasolina no fogo ardente. Uma dor muito mais dura do que o pontapé que mamou o seu gordinho rabiosque e do saltinho que deu bem para baixo, pois claro! Consta que passava os dias no facebocas… Foi caçada. Nada que fosse difícil, pois trabalhar e evoluir também não é regra com esta madame. Uma donzela de meia tigela que odiava informática, mas depois passou a amar…

Comadres, minhas comadres, “juntaram as duas à esquina, a tocar a concertina e a bailar o solidó”… Os canídeos ladram e a caravana sobe, sobe!!...

Mário Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário